RECUPERAR:

Prémio de Jornalismo

Anualmente, a Associação Portuguesa para o estudo da Dor e a Fundação Grunenthal, com o objectivo de incentivar e reconhecer o interesse e qualidade dos trabalhos jornalísticos na área da Dor, distinguem publicações impressas (papel e online) ou emitidas em televisão ou rádio.

6ª edição do Prémio de Jornalismo na área da Dor

Os jornalistas André Rodrigues, da Rádio Renascença, e Bárbara Baldaia, da TSF, são os vencedores da 6a edição do Prémio Anual de Jornalismo, promovido pela Fundação Grünenthal e pela Associação Portuguesa para o Estudo da Dor. A distinção teve em conta critérios como a criatividade, investigação, relevância e qualidade das peças jornalísticas.

André Rodrigues foi o vencedor do primeiro prémio desta edição, no valor de 2.000€, com a reportagem “Vidas de Dor, corpos que não desistem”. O trabalho da jornalista Bárbara Baldaia, intitulado “Um dia de cada vez”, foi distinguido com o segundo prémio no valor de 1.000€. Foi ainda atribuída uma menção honrosa ao trabalho da jornalista Paula Rebelo, da RTP, sobre dor nas crianças.

VER REPORTAGEM Rádio Renascença TSF

5ª Edição do Prémio de Jornalismo na Área da Dor

Os prémios de Jornalismo na Área da Dor foram atribuidos a Arlinda Brandão e Nélia Pedrosa. 

O primeiro prémio será entregue a Arlinda Brandão, jornalista da Antena 1, com uma reportagem sobre os cuidados paliativos, realizada em várias unidades hospitalares de Lisboa.

O segundo prémio será entregue à jornalista do Diário do Alentejo, Nélia Pedrosa, pela reportagem sobre a Equipa Comunitária de Suporte em Cuidados Paliativos Beja.

VER REPORTAGEM

4ª edição do Prémio de Jornalismo na área da Dor (2015)

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor e a Fundação Grünenthal distinguiram as jornalistas Mafalda Gameiro e Sofia Matos Teixeira, pela qualidade e interesse dos trabalhos realizados em prol da divulgação da dor.

O 1º Prémio, no valor de 2000€, foi atribuído à jornalista Mafalda Gameiro, da RTP 1 – Programa Linha da Frente

O 2º Prémio, no valor de 1000€, foi atribuído à jornalista Sofia Matos Teixeira, das Notícias Magazine – DN/JN

3ª edição do Prémio de Jornalismo na área da Dor (2014)

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor e a Fundação Grünenthal distinguiram as jornalistas Paula Rebelo e Anabela Silva, pela qualidade e interesse dos trabalhos realizados em prol da divulgação da dor.

Paula Rebelo, da RTP, venceu o prémio na categoria de televisão com uma reportagem com enfoque no impacto da dor crónica na população portuguesa e as consequências do seu não tratamento.

Já a jornalista da Antena 1, Anabela Silva, foi a vencedora na categoria de rádio pela reportagem sobre a dor que sentem os profissionais de saúde que nos tratam.

VER REPORTAGEM

2ª edição do Prémio de Jornalismo na Área da Dor (2013)

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor e a Fundação Grünenthal distinguiram as jornalistas Paula Rebelo e Joana Nogueira, pela qualidade e interesse dos trabalhos realizados em prol da divulgação do estudo e tratamento da dor.

Paula Rebelo, da RTP, venceu o prémio na categoria de televisão com uma reportagem com enfoque na inovação na área da dor. Já a jornalista do Correio da Manhã, Joana Nogueira, foi a vencedora na categoria de imprensa pela reportagem sobre o impacto da dor crónica na população.

Prémio de Jornalismo 2013  VER REPORTAGEM

1ª edição do Prémio de Jornalismo na Área da Dor (2011-2012)

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor e a Fundação Grünenthal distinguiram as jornalistas Carla Marina Mendes e Ana Leal, pela qualidade e interesse dos trabalhos realizados em prol da divulgação da dor.

Carla Marina Mendes, do Jornal Destak, venceu o prémio na categoria de imprensa com o trabalho “Um exemplo vindo do sul”. Já a jornalista da TVI, Ana Leal, foi a vencedora na categoria de televisão pela reportagem “Condição Humana”.

Prémio de Jornalismo 2011-2012 VER REPORTAGEM